Criar um Site Grátis Fantástico
PRINCÍPIOS GERAIS E ESPECÍFICOS NO JOGO
PRINCÍPIOS GERAIS E ESPECÍFICOS NO JOGO


No futebol, a relação de cooperação/oposição manifesta-se na realização de acções individuais, de grupo e colectivas, específicas e congruentes com os objectivos e com as finalidades em cada momento do jogo, segundo regras de acção e princípios de gestão bem definidos. Estas regras de acção e princípios de gestão de jogo, são denominados no seu conjunto, e segundo Teodorescu (1984), componentes fundamentais da táctica. De acordo com este autor romeno, as componentes fundamentais da táctica são:

As Fases: etapas percorridas no desenvolvimento quer do ataque quer da defesa desde o seu início até à sua conclusão.
Os Princípios (gerais e específicos): normas de base segundo as quais os jogadores, individual, em grupo ou colectivamente, devem coordenar a sua actividade durante os desenvolvimentos das fases (defesa e ataque).
Os Factores: meios que os jogadores utilizam, qualquer que seja a fase de jogo, tendo em conta a aplicação dos respectivos princípios.
As Formas: estruturas organizadoras da actividade durante o jogo e nas diversas fases.
 
Os princípios específicos representam, conforme foi já referido, um conjunto de regras que devem coordenar as acções dos jogadores. A cada um dos 4 princípios específicos do ataque (penetração, cobertura ofensiva, mobilidade e espaço) correspondem outros tantos da defesa (contenção, cobertura defensiva, equilíbrio e concentração) e vice-versa.

Os princípios de jogo são então um conjunto de normas que orientam o jogador na procura das soluções mais eficazes, nas diferentes situações de jogo.

Quando um jogador se encontra na posse da bola, este deverá ter como primeira preocupação ver se existe possibilidade de finalizar (marcar golo) ou espaço livre de progressão para a baliza contrária, respeitando o primeiro princípio de ataque, isto é, aPENETRAÇÃO.

Em resposta à penetração, a equipa que defende deve fechar de imediato a linha de remate ou de progressão para a baliza, colocando um jogador entre o portador da bola e a baliza, criando uma situação de 1x1, cumprindo assim o primeiro princípio da defesa, ou seja, a CONTENÇÃO.

Esta situação de igualdade numérica agora criada, não deixa de envolver um maior risco para a equipa que defende. Assim, esta deve procurar criar superioridade numérica, através da inclusão de um segundo defensor, cumprindo assim o segundo princípio da defesa: a COBERTURA DEFENSIVA.

A equipa que ataca, dado que fica em inferioridade numérica, deve restabelecer o equilíbrio fazendo apelo a um segundo atacante e, respeitando o segundo princípio do ataque, COBERTURA OFENSIVA, tenta criar uma relação de igualdade numérica (2x2).

Esta situação de 2x2 é teoricamente menos vantajosa para o ataque do que a de 1x1. Justifica-se assim que o segundo atacante se afaste do portador da bola de forma a libertá-lo da sobremarcação (cobertura defensiva), procurando reconstituir a situação de 1x1. Caso o segundo defensor não o acompanhe, está então criada uma linha de passe que deve ser utilizada de forma a criar uma situação de 1x0. Este é o princípio daMOBILIDADE.

Entre estas duas alternativas, compete à defesa optar pela menos perigosa. O segundo defensor deve acompanhar o segundo atacante restabelecendo, ainda que em moldes algo frágeis, situações de igualdade numérica (1x1), através do cumprimento do princípio do EQUILÍBRIO.

Podemos verificar, em síntese, que o ataque tem todo o interesse em tornar o jogo mais aberto, com maior amplitude, em largura e profundidade, em criar linhas de passe, de forma a obrigar a defesa a flutuar e a ter maior dificuldade em criar situações de superioridade numérica. Justifica-se por isso aquele que se constitui como o quarto princípio do ataque: ESPAÇO.

Pelo contrário, à defesa compete restringir o espaço disponível para jogar, diminuir a amplitude do ataque, obrigando o adversário a jogar em pequenos espaços, de forma a facilitar a cobertura defensiva e a criação permanente de situações de superioridade numérica. Explica-se desta forma a CONCENTRAÇÃO enquanto quarto princípio de defesa.

 

 

Nota Final: Embora não esteja referido no artigo, é unânime o reconhecimento de duas fases fundamentais no sucesso do processo ofensivo e defensivo, e que têm vindo a ganhar mais relevo como alvo de estudo - transições ataque/defesa e defesa/ataque...Serão, pela sua especificidade, debatidas noutra ocasião.
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
A PROCURA...
QUER TORNAR-SE UM JOGADOR DE FUTEBOL AGÊNCIADO?
SIM.
NÃO.
SIM, A DNA ESPORTE.
Ver Resultados

Rating: 3.5/5 (1386 votos)




ONLINE
1